TECTÔNICA DE PLACAS E O JAPÃO

Estava fechando o planejamento pra o curso que estou trabalhando e me deparei com o conteúdo que tenho que apresentar. Chega a ser engraçado ter que trabalhar com Tectônica de Placas justamente nessa semana (engraçado se não fosse trágico). Analisando todo o conteúdo, e as turmas que estou trabalhando, vejo quanto que o assunto se encaixa. É absurdo!

Segundo as teorias de formação da terra, após a explosão que deu origem a uma superfície incandescente de lava e magma, e algum tempo depois após seu resfriamento, as porções que conhecemos como continentes, se solidificaram e ai tivemos as formações que conhecemos hoje (é claro, depois de muitas modificações). O legal é entender que os continentes são apenas o topo dessas placas. São como Icebergs, que a parte que conseguimos ver, as vezes não representam nem 30% de um todo. Onde o mar é o manto incandescente e o espaço entre essas grandes formações não é tão grande assim.

O Japão fica num lugar muito particular. Pra início de conversa, já deveria ser um lugar não habitado por origem: ilhas rochosas com poucos ou quase nenhum recursos energéticos. E em segundo lugar, as partes mais ativas do Circulo do Fogo, ficam na Ásia. Quando não resultam em terremotos são maremotos (que se convencionou popularmente chamá-los de Tsunami ou que dão origem a Tsunam’s).  O país é, sem dúvidas, muito preparado pra muitas catástrofes. Talvez não dessa magnitude, mas é muito bem preparado. Contudo o que ouvi muito nesse final de semana foram questões ligadas ao fim do mundo e até mesmo a volta de Jesus Cristo. Relacionando o desastre ao princípio das dores.

Não é raro ver sempre por aí essa relação sendo feita, até porque fica meio impossível fazer uma dissociação disso. O chato é ver que quem não professa a fé Cristã acha uma tremenda palhaçada quando se faz essa associação (com razão – porque quem a faz, a faz totalmente sem contexto). Mas é necessário entender que tanto o princípio das dores, quanto os desastres naturais são causados pela ação do homem. É a ação humana, que está acelerando os processos naturais, principalmente a partir das revoluções industriais e tecnológicas. Gostei muito do que disse a ex-candidata a Presidente da República, ex-Senadora e Professora Marina Silva em seu Twitter, no @silva_marina ela disse “Há várias atitudes possíveis frente à natureza. Uma é a de protegê-la. Outra, fazer tudo para nos protegermos dela. Como faz o Japão.”

Os Japoneses sabem que são intrusos. Assim como os Holandeses. Estão tomando lugar da natureza por não ter lugar para se viver. Assim acontece em vários lugares: Acontece em Veneza, acontece no deserto, acontece nos morros do RJ. Só espero que saibamos cuidar bem do que Deus nos deu pra que não precisemos virar intrusos em nosso próprio país.

Sei que não expus muito bem o que queria falar sobre Tectônica de Placas, até porque o tempo nos cobra de uma forma impressionante. Até a crítica foi meio fraquinha, mas acho que consegui passar o que penso. Por isso estou colocando esses vídeos aqui em baixo que falam muito bem sobre tudo o que está acontecendo lá nessa região da Ásia. É o GLOBO NEWS DOCUMENTO desse fim de semana. O Professor Moacyr Duarte é muito bom, vocês vão gostar. Coloco ainda essas imagens que achei impressionante, dos efeitos do Tsunami da ABC NEWS. Clique para abrir ou acesse os links.

Localidades Japonesas antes e depois

http://www.abc.net.au/news/events/japan-quake-2011/beforeafter.htm

 

Vlw, um abraço e até a próxima! @GedielsonSilva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s